Pesquisas em andamento

2020 a 2024 – Caracterização espacial da ocorrência de fogo nas Américas e suas relações com fatores ambientais e antrópicos

A ocorrência de fogo apresenta potenciais efeitos no ambiente e é resultado da interação de diversos fatores, dentre as quais, destacam-se o clima, a vegetação e a influência antrópica. Estes contribuem significativamente na sua incidência, aumentando ou reduzindo seu padrão por unidade de tempo. Neste contexto, registros de carvão é uma ferramenta que se destaca, uma vez que permitem realizar inferências sobre os efeitos da evolução climática, assim como das atividades humanas na queima de biomassa global. Realizar a caracterização de regiões homogêneas de fogo para estudar seus potenciais efeitos é o interesse de muitos estudos paleoclimáticos, e métodos de análise multivariada e inteligência computacional podem ser utilizados para auxiliar neste fim. Dessa forma, o objetivo deste trabalho é de identificar e quantificar os padrões de ocorrência de fogo e as suas causas (naturais e antrópicas) nas Américas desde o último máximo glacial. Para isso, serão utilizados dados de registros de carvão que serão analisados pelos métodos de componentes principais, agrupamento e mapa de Kohonen. Estes registros serão correlacionados com dados de pólen, espeleotemas, dados climáticos e registros históricos, com a intenção de ter melhor entendimento das mudanças climáticas ocorridas ao longo dos últimos 20.000 anos que permitiram a ocorrência de fogo. Esperamos neste estudo, contribuir para compreensão das mudanças ambientais ocorridas desde o último máximo glacial nas Américas por meio da análise de registros de ocorrência do fogo, uma vez que este é um importante fator para mudanças no ecossistema.


2020 a 2024 – Mudanças do fluxo de umidade da América do Sul associadas às variações de TSM das bacias oceânicas Atlântico e Pacífico

Devido às variações ocorridas no ciclo hidrológico nos últimos anos, tornou-se fundamental entender os fatores que podem influenciar este ciclo, como os processos que ocorrem nos oceanos, o transporte de umidade atmosférica, e como as mudanças climáticas podem afetá-los. Os avanços tecnológicos estão sendo amplamente utilizados para estudos relacionados às mudanças desses fluxos de umidade em pequena e grande escala, sendo possível examinar com mais detalhes sua interação com eventos extremos. Em projetos desse tipo, deve-se analisar o modelo mais adequado de acordo com diversos fatores como o objetivo, tecnologia suportada e dados disponíveis. Além disso, deve-se analisar a região de estudo, se há o forte cisalhamento do vento muito presente na América do Sul, por exemplo, que também influenciará na escolha do modelo adotado. Neste caso, uma boa alternativa é a utilização dos modelos WRF-WVT traçadores de vapor d´água incorporados em modelos climáticos globais e regionais) e o lagrangiano FLEXPART. Devido à importância dos oceanos Atlântico e Pacífico como fontes de umidade para a América do Sul, objetiva-se nesta pesquisa utilizar os modelos WRF-WVT e FLEXPART para analisar as variações temporal e espacial do fluxo de umidade associadas às variações de TSM das bacias oceânicas Atlântico e Pacífico para todo o subcontinente, a partir dos dados de reanálise ERA5 e do Coupled Model Intercomparison Project Phase 6 (CMIP6).


2021 a 2023 – Análise de risco ao longo das linhas de transmissão elétrica nas regiões Sul e Sudeste do Brasil

Os incêndios e as descargas elétricas, são um dos principais fatores que afetam os desligamentos não programados nas redes de transmissão elétrica do Brasil. Dessa forma, o trabalho proposto tem como objetivo principal identificar as faixas preferenciais de temperatura e precipitação que ocorrem os relâmpagos e incêndios nas linhas de transmissão elétrica no trecho entre Curitiba e Rio de Janeiro no período de 2005 a 2020. Para isso, serão utilizados dados da Rede Integrada Nacional de Detecção de Descargas Atmosféricas (RINDAT) e da Rede Brasileira de Detecção de Descargas Atmosféricas (BrasilDAT). Os dados de Focos de Calor serão provenientes do banco de dados do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais e serão analisados dados climáticos de temperatura, precipitação, pressão e CAPE para verificar a relação dessas variáveis com os incêndios e os relâmpagos. A partir dos dados mencionados, serão feitas projeções climáticas de temperatura e precipitação para verificar o potencial de raios e incêndios com base no CMIP5. E por último será calculado o total de flash de relâmpagos. Portanto, espera-se contribuir para a sociedade em geral, sendo possível produzir soluções que minimizam os prejuízos causados pelas descargas elétricas e os incêndios nas linhas de transmissão elétrica, pois desligamentos não programados em linhas de transmissão acarretam diversos problemas de ordem econômica e social.


2016 a 2022 – Resposta da vegetação global às variações da temperatura da superfície do mar em períodos paleoclimáticos

O objetivo deste trabalho é avaliar o efeito da variabilidade espaço-temporal da Temperatura da Superfície do Mar sobre a dinâmica da vegetação global em períodos interglaciais, usando modelagem acoplada vegetação-clima. Especificamente, o estudo procura responder as seguintes questões: Como a vegetação global respondeu à potencial mudança de TSM nas bacias oceânicas individualizadas durante os períodos interglaciais? Qual o papel individualizado dos Oceanos Pacífico e Atlântico no padrão de vegetação da América do Sul?

© 2020 Universidade Federal de Viçosa - Todos os Direitos Reservados